PIX: Por que o sistema ainda não emplacou no comércio eletrônico?

Sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central é menos aceito pelos lojistas do que cartão de crédito, débito, boleto bancário, wallets e débito; entenda os entraves

É certo que a chegada do PIX, por ser um sistema gratuito e instantâneo, tornou mais fácil o processo de transferências bancárias e trouxe agilidade na forma de fazer pagamentos. Em pouco mais de três meses de vigência, o sistema do Banco Central já atingiu metas importantes, mas tem ainda um desafio: o de emplacar no comércio eletrônico. Segundo estudo da Idid (uma plataforma de autenticação de pagamentos), realizado pela GMatos, o sistema ocupa apenas a 5ª colocação na preferência dos lojistas. Qual é o motivo?

O levantamento, que analisou 60 grandes players do setor de e-commerce de diversos segmentos, mostra que os preferidos dos lojistas ainda são o cartão de crédito, com 98,3% de aceitação, e o boleto bancário, com 75%. Em seguida estão as carteiras digitais (Wallet), 50%, o débito, 38% e só depois vem o PIX, oferecido por 16,7% dos estabelecimentos.

Entraves

O PIX oferece a possibilidade da transação financeira ser feita de maneira instantânea; mas, o que poderia ser uma vantagem para a liquidação rápida da venda, acaba sendo o maior obstáculo. Isso porque, como a transação é consolidada em segundos, dificulta a confirmação do lojista sobre a disponibilidade de estoque. Dessa forma, é possível que o consumidor finalize o pagamento, mas a loja não tenha o produto em estoque, tendo, então, que ressarcir o cliente correndo o risco de perder a venda.

Além disso, o e-commerce demanda uma análise de risco antes do pagamento ser confirmado e debitado da conta do cliente. No cartão de crédito, o meio mais aceito no setor, isso se dá por meio de uma plataforma tecnológica de autorização padronizada que ocorre em duas fases: pré-autorização e captura.

O PIX tem um dispositivo de devolução instantânea do dinheiro. Para isso, diz o Banco Central, é preciso que haja uma negociação entre o pagador e o recebedor, processo simples entre pessoas físicas, mas complicado entre empresas e pessoas.

Alta aceitação do boleto bancário e da carteira digital

Considerado arcaico por muitos, o boleto tem, ainda, 75% de preferência dos lojistas. Segundo o estudo, isso pode ser explicado pelo fato do meio de pagamento ser muito conhecido no mercado local e, além disso, um sistema de pagamento que inclui todos os consumidores, até mesmo aqueles que não possuem conta bancária.

Já as carteiras digitais cresceram em função da pandemia por sua comodidade já que, no mundo físico, consumidores passaram a dar preferência por ser um meio de pagamento contactless, isto é, por aproximação, sem contato entre as partes.