Reino Unido estuda adotar imposto sobre e-commerce; entenda

Impulsionados pela crise da Covid-19, os gastos com e-commerce no Reino Unido aumentaram 46% em 2020

O governo do Reino Unido está considerando a possibilidade de implementar um imposto sobre o comércio eletrônico. Segundo o The Guardian, a intenção é equilibrar os gastos em lojas online e lojas físicas, já que a Covid-19 têm diminuído consideravelmente as vendas presenciais.

Devido às medidas de isolamento social, o país observa um grande crescimento do comércio eletrônico: 30% do total das vendas no varejo. Enquanto isso, muitos comerciantes donos de lojas de rua têm encerrado seus serviços.


Leia também

Facebook entra na mira da defesa do consumidor

E-commerce: sabia como identificar e fugir de fraudes em compras on-line


Alguns políticos britânicos acreditam que um imposto sobre o e-commerce poderia ajudar a prevenir o fechamento de estabelecimentos físicos. Há, porém, um impasse. Especialistas alertam que esse imposto também atingiria muitos lojistas de rua que possuem loja online e, além disso, a medida também causaria aumento de preços para os consumidores.

Os CEOs de alguns grandes varejistas são a favor do imposto online. Estes insistem, particularmente, em condições de igualdade. No Reino Unido, os varejistas são parcialmente tributados sobre o espaço de varejo em que operam (as chamadas taxas comerciais). Isso dá aos players que operam exclusivamente online, como a Amazon, uma grande vantagem.