Ford: é hora de vender o veículo da marca parado na garagem?

Após o anúncio da operação industrial em solo brasileiro, consumidores mostraram preocupação com o carro parado na garagem. É hora de vender?

Com o fim da operação industrial da Ford no Brasil, muitos consumidores ainda se perguntam: o que fazer com o veículo da marca parado na garagem? É hora de vender ou aguardar?

O Consumerista conversou com Jomar Napoleão, especialista em autos da Carcon Automotive, consultoria de negócios especializada no setor automotivo.

Jomar Napoleão, da Carcon

O Consumerista – Há notícias de pessoas pedindo o cancelamento da compra de um veículo da marca pelo temor de desvalorização ou até mesmo o sobrepreço de peças. O que há de mito ou verdade nisso tudo?

Jomar Napoleão – O que temos visto são casos de pessoas que compraram recentemente veículos Ford, como o Ka ou a EcoSport e com a notícia do fechamento da empresa muitos estão tentando voltar atrás nesses negócios. Não é um fato generalizado no mercado.

OC – A saída da Ford representa um problema de fato para o consumidor. Os veículos da marca vão desvalorizar? Por quê?

JN – Veja, a Ford não vai sair totalmente do mercado. Vai reposicionar a linha de veículos. Nesses casos, veículos que saem de linha vão continuar com assistência técnica. Agora, sempre que um modelo sai de linha há uma queda natural de preço na revenda. Isso já aconteceu com outros modelos. Na própria Ford tivemos o caso do Focus.

OC – Há um risco do consumidor importar peças de outros países? Se sim, por quê?

JN – Como dissemos acima, a empresa continua a operar no país, onde até pretende lançar novos modelos de alto conteúdo tecnológico. Deverá portanto manter a assistência técnica de sua linha atual.

OC – Na sua avaliação, o que poderá ocorrer com as revendedoras que possuem carros no estoque?

JN – Os níveis de estoque no momento estão já muito baixos.  Eu diria que é uma oportunidade se comprar um bom veículo com algum desconto. Claro que será um desafio para os revendedores Ford, por que a gama de produtos encolheu muito.

OC – Se o consumidor possui um carro da Ford, seria o momento correto de vender ou é preciso esperar um pouco?

JN – é uma decisão muito pessoal mas eu diria para, se a pessoa não tem planos de trocar de carro, continue com o seu veículo. é claro que o valor de revenda vai ser menor do que se o veículo estivesse em linha. mas não há razão para uma corrida de vendas