PIX: mais de 700 instituições já foram aprovadas pelo Banco Central

Segundo o BC, 218 instituições não conseguiram o aval para aderir ao PIX na primeira etapa cadastral

PIX, Banco Central

Já são mais de 762 instituições cadastradas (entre bancos, financeiras, fintechs e instituições de pagamentos) no PIX, o novo sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central, que entrará em funcionamento no próximo dia 16 de novembro.

De acordo com o BC, essas instituições concluíram com êxito todas as etapas necessárias e estão prontas para ofertar o sistema de pagamento de forma segura, cumprindo todos os requisitos definidos pela autoridade.

Primeiro prazo encerrado

O prazo para aderir ao PIX  a partir do seu lançamento se encerrou no último dia 16 de outubro, com a conclusão das etapas cadastral e homologatória. O processo de adesão será reaberto de forma permanente a partir de 1º de dezembro de 2020.

“A quantidade e a diversidade das instituições que estão aptas a ofertar o Pix reforçam o caráter aberto e universal do arranjo de pagamento, evidenciam a grande competitividade que o Pix traz ao mercado e demonstram o forte engajamento dos diversos agentes para a adoção do Pix”, apontou o Banco Central, em nota.

O diretor de diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello, afirmou que, até as 12 horas de hoje (22), 48,5 milhões de chaves haviam sido registradas.

Mais de 200 empresas vetadas

O Banco Central também divulgou, nesta quinta-feira (22), que 218 instituições não conseguiram o aval para aderir ao PIX. As recusas representam 22% do total das 980 empresas que completaram a solicitação. De acordo com a autarquia, as instituições não autorizadas a operar com o novo sistema de pagamentos tiveram seus pedidos negados por não serem consideradas aptas a entrarem em operação, ou foram excluídas a pedido.

Entre as empresas que tiveram seu pedido negado estão alguns nomes fortes como a Alipay Brasil Meio de Pagamento, que funciona como plataforma de pagamentos do grupo chinês Alibaba. Também o Banco XP S.A., a Paypal Brasil e o Banco A J Renner S. A. ficaram de fora.