Oi frustra concorrentes e fecha acordo com Highline

Pacto de exclusividade se sobrepõe à proposta conjunta de Vivo, Claro e Tim para adquirir ativos da companhia

A Oi anunciou na quarta-feira, 22, que fechou um acordo de exclusividade com a Highline do Brasi para a venda da rede móvel da companhia. De acordo com a tele, a proposta da empresa superou o mínimo estabelecido e a oferta conjunta das três maiores operadoras do Brasil,  Vivo/Telefônica, Claro e Tim, que era de R$ 15 bilhões.

A Highline se define como uma desenvolvedora de soluções de infraestrutura para a indústria de telecomunicações.

O acordo vale até o dia 3 de agosto, mas pode ser prorrogado. A Highline fica com o direito de cobrir ofertas de concorrentes. A companhia fez ainda uma proposta de R$ 1,076 bilhão pela unidade produtiva isolada (UPI) Torres da Oi.

A venda da rede móvel é considerada essencial para a Oi, em recuperação judicial desde 2016 e com prejuízo de mais de R$ 6 bilhões apenas no primeiro trimestre deste ano.

Depois no negócio, a companhia deve focar nos segmentos de fibra ótica e infraestrutura. A tele conta com cerca de 350 mil quilômetros de cabos de fibra no Brasil, além de 43 mil quilômetros de dutos para cabos de telecomunicação.