Compras com cartão vazado de Bolsonaro viram meme; saiba o que fazer se for vítima

Grupo de hackers divulgou supostos dados do presidente e aliados; usuários brincaram com lista dos sonhos: “iPhone 11, MacBook”

Bolsonaro

Como quase tudo na internet brasileira, o vazamento de supostos dados do presidente Jair Bolsonaro, além de seus filhos e aliados, virou meme. Tudo isso porque a lista de informações incluía o que seriam os dados do cartão de crédito usado pelo chefe do Executivo, o que, em tese, deu margem para que aqueles que tivessem acesso aos dados pudessem efetuar compras com o dinheiro usado pelo presidente.

Foram vários usuários no Twitter relatando terem usado o cartão de Bolsonaro para adquirir em lojas de varejo eletrônico itens desejados, mas pouco acessíveis para a maior parte da população, como o celular iPhone 11 ou o laptop MacBook, ambos da Apple e frequentemente incluídos entre os melhores do mercado de tecnologia.

As brincadeiras então se espalharam: alguns comentavam dizendo que a entrega seria feita pela Polícia Federal, outros incluíram itens como apartamentos na lista e alguns ainda lamentaram o fato de estarem dormindo durante o tempo em que os dados do cartão teriam ficados disponíveis para uso, ainda durante a madrugada desta terça-feira.

O tema chegou, inclusive, aos Trending Topics, ou assuntos mais comentados da rede social, alcançando centenas de milhares de menções.

Apesar da euforia, o cartão foi cancelado depois de algum tempo e, caso as informações sejam mesmo de Bolsonaro, as compras não devem ser bem-sucedidas.

O vazamento foi provocado pelo grupo de hackers autointitulado Anonymous, coletivo que ataca sites e divulga informações de maneira criminosa. Além do cartão do presidente, teriam sido publicados dados cadastrais, endereços, telefones e informações sobre o patrimônio das vítimas.

Pouco tempo depois, o grupo apagou as postagens e teve sua conta suspensa pelo Twitter. O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, disse que o caso será investigado.

Golpes cotidianos

Apesar de tratar-se de um vazamento com uma figura de grande fama e relevância, infelizmente ainda é comum a publicação de informações pessoais, muitas vezes financeiras, de cidadãos comuns, cujos dados são armazenados por empresas das quais são clientes na internet, por exemplo.

No que se refere a compras irregulares com o cartão de terceiros, é importante que o consumidor fique atento às movimentações feitas em sua conta bancária ou fatura, de acordo com a diretora do Procon/PR, Cláudia Silvano.

“O consumidor tem proteção nesse caso. Se ele não reconhecer determinada movimentação ou determinados valores, a operadora deve retirá-los da fatura. O importante é que o consumidor fique atento – e hoje os aplicativos ajudam muito para isso – e, caso estranhe alguma coisa, entre em contato imediatamente com a administradora do cartão, por exemplo”, explica Silvano.