Procon SP registra mais de 8 mil queixas relacionadas ao novo coronavírus

Em menos de um mês, a Fundação Procon São Paulo registrou mais de 8 mil reclamações contra empresas e relacionadas ao novo coronavírus

Um levantamento divulgado nesta terça (31) da Fundação Procon São Paulo aponta quais foram as principais reclamações relacionadas ao COVID-19. Ao todo, o órgão registrou 8.239 registros (queixas e consultas) nas últimas duas semanas. Segundo o levantamento, do total de registros, 4.056 se referem às reclamações e 4.183 foram consultas.

O que chama a atenção é que o total de queixas relacionadas ao coronavírus. Segundo o órgão,  o número registrado no dia 13 de março foi de 1.150. No dia 31 março, esse número saltou para um total de 8.239. Ou seja, nos últimos 18 dias foram contabilizadas mais 7.089 queixas.

Queixas mais comuns

O levantamento mostra que as agências de viagens responderam por 52% das demandas dos consumidores, com 2.116 queixas. Em seguida aparecem as companhias aéreas com 30% do total ou 1.228 registros.

Além de reclamações contra agências de viagem e companhias aéreas, os consumidores relataram problemas farmácias/lojas/mercados, que representam 11% das demandas (466 queixas), programas de fidelidade (2% do total), instituições financeiras (2%), ingressos e eventos (1%) e cruzeiros (1%).

Crédito: Procon SP